blog de decoração - Arquitrecos .post img { max-width: 500px; height: auto;

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Macramê Moderno

Eu não sei vocês, mas o macramê nunca foi a minha técnica artesanal preferida, principalmente porque eu sempre associei a trabalhos sem muita preocupação com acabamento, ou feitas com materiais de baixa qualidade que não valorizavam os trabalhos.

Mas sinceramente, esses tempos se foram!! Tenho visto vários tipos de trabalho feitos com essa técnica, desde objetos decorativos até itens funcionais, com acabamentos que garantem ao produto a devida valorização que a técnica merece. Para começar, o ponto alto: Luminárias de macramê! Mais que um trabalho artesanal, esses trabalhos ganharam status de peças de design. SENSACIONAIS!

Imagem: Anthropologie


Imagem: Heathred Nest


Imagem: Duo Home

Macramê é uma técnica de tecer fios que não utiliza nenhum tipo de maquinaria ou ferramenta. É uma forma de tecelagem manual. Trabalhando com os dedos, os fios vão se cruzando e ficam presos por nós, formando cruzamentos geométricos, franjas e uma infinidade de formas decorativas. O macramê tem duas formas mais conhecidas de trançado: o ponto "festonê" e o ponto "nó duplo", no primeiro dois fios são usados um esticado e o outro enlaça formando nós, no segundo três fios são usados um esticado no meio e os outros dois enlaçam formando nós.
A palavra macramê significa "nó". Há versões que dizem que a palavra vem do árabe, outras do turco, outras ainda do francês. Mais provavel é a origem do árabe migramah, que significa franja ornamental. Com a conquista da Península Ibérica, a técnica foi introduzida na Espanha e depois por toda a Europa. É uma arte que se originou na pré-história, quando o homem aprendeu a amarrar fibras para se agasalhar e criar objectos. Foi difundida no mundo por marinheiros que utilizavam a técnica para criar objetos marítimos que permutavam nos locais onde desembarcavam. (Fonte: wikipedia).

Imagem: Decorfácil


Imagem: Decorfácil


Imagem: Aproveitando a vida


E no quesito objetos decorativos, o que acham dessas molduras de espelho? Eu achei incríveis e um uso original da técnica.

Imagem: Luxsear Decor


Imagem: Stricken Hakeln


As fruteiras e suportes para vasos são mais facilmente encontrados, e igualmente interessantes. Eu acredito que o material mais adequado deve ser sintético ou encerado, para facilitar a limpeza.

Imagem: Decorfácil


Imagem: Etsy


Imagem: Etsy


Imagem: Etsy

Esse recurso eu ainda não tinha visto: o macramê como acabamento para cortina. A ideia deve funcionar muito também em colchas, pois o trabalho "pesa" de forma a garantir um bom caimento para o tecido. É praticamente o mesmo recurso usado em barras de redes por exemplo.

Imagem: Decorfácil


O trabalho em macramê usado como cortina (especialmente de portas) e rede é bastante comum, e confesso que é necessário ter cuidado para o resultado não ficar exagerado. Quanto menos detalhes, melhor, na minha opinião.

Imagem: Decorfácil


Imagem: Decorfácil

O uso de cores garante um efeito mais moderno ao trabalho em macramê.
Imagem: Decorfácil

E no mais, basta deixar a imaginação decolar, pois a variedade de pontos permite a execução dos mais variados tipos de adornos.

Imagem: Decorfácil


Imagem: Decorfácil


Imagem: Decorfácil


Imagem: GoDIYGo


Imagem: Brit + Co



sexta-feira, 28 de junho de 2019

Orquídeas na decoração. Saiba como cultivar.

Quem não ama orquídeasAlém de lindas, são duráveis e ótima alternativa para a decoração de um modo geral, pois não exigem muita manutenção, apenas cuidados específicos quanto ao ambiente em que irão viver, seja ao ar livre ou em ambientes fechados, de acordo com o modo em que vivem na natureza.

Imagem: Casa e Jardim

O arranjo de uma coleção de orquídeas organizadas em uma parede ou sobre uma mesa na varanda, criam esta atmosfera de orquidário em casa, perfeito para garantir cuidados especiais a cada espécie em um espaço confortável e visualmente agradável. Garanto que o efeito é muito terapêutico.

Imagem: Pinterest

Existem cerca de 35 mil espécies de orquídeas espalhadas pelo mundo inteiro. Só no Brasil são mais de 3.500 espécies nativas, divididas em mais de mil gêneros diferentes e uma infinidade de variedades de cruzamentos híbridos entre suas espécies. Portanto, a não ser que você seja um especialista em orquídeas, é praticamente impossível identificar uma espécie apenas olhando para ela, sem saber o seu nome científico. Por isso, para saber como cultivar orquídeas é preciso primeiro identificar o seu tipo (nome, espécie, gênero), para a partir disso tentar entender como elas vivem.

Imagem: Casa de Valentina


Como cultivar orquídeas em vasos:
A grande maioria das orquídeas brasileiras são epífitas. Isso significa que elas crescem presas aos troncos das árvores como forma de apoio, se abrigando da luminosidade excessiva, se beneficiando da umidade do local e se alimentando de nutrientes que caem dessas árvores através das suas raízes expostas. No entanto, é perfeitamente possível cultivar orquídeas em ambientes internos, desde que você mantenha alguns cuidados necessários:
  1. Manter a umidade do vaso e do ar parecido com o que ela teria do lado de fora, para evitar a proliferação de fungos e bactérias;
  2. Dispor as orquídeas próximas a uma janela com boa iluminação e ventilaçãoe, em ambientes abertos, protegê-las de ventos fortes;
  3. O vaso ideal é o de barro ou de fibra de coco, pois são mais porosos e favorecem a drenagem da água, mantendo a umidade por mais tempo e evitando que as raízes apodreçam;
  4. Por fim,  é só seguir algumas regrinhas quanto a como cultivar orquídeas em vasos, em relação à regas, adubo, poda, substrato, replantio etc. 
Imagem: Casa 1202

Objetos e utensílios como bules, conchas e recipientes em vidro são perfeitos para formar arranjos muito interessantes com orquídeas, pois como são espécies que não demandam rega diária, não precisam de pratinhos para contenção da água.

Imagem: One Architecture


Imagem: Casa e Jardim

Imagem: Fancy Look


E para quem pensa que o uso de flores está limitado aos ambientes sociais da casa, algumas imagens de banheiros que ganham um ar de aconchego e sofisticação com estas flores.

Imagem: Follow the Colors


Imagem: Viva Decora

Iluminação ideal
Quanto à iluminação, a incidência direta dos raios solares pode queimar suas folhagens, portanto o ideal é meia-sombra. No entanto, a quantidade de luz adequada será determinada pela sua espécie, pois cada uma cresce em um ambiente diferente. A quantidade de luz ideal é sol pela manhã (até as 9 horas) ou no final da tarde (depois das 16 horas).

Imagem: Viva Decora


Substrato indicado
Para cultivar orquídeas em vaso, é preciso entender que elas vivem sobre substratos, com suas raízes expostas para poder respirar. Normalmente, o substrato ideal para orquídeas em vasos são os mais porosos, como chips de fibra de coco, musgos, nó de pinho, carvão vegetal, britas, cascalhos e cascas de madeira, que além de decorar, vão conservar a água no vaso por mais tempo e escoar o excesso. Esses substratos também devem ser trocado a cada dois anos, para evitar que o material entre em decomposição e comprometa a saúde da planta.

Imagem: Viva Decora

Irrigação
De um modo geral, a maioria das orquídeas não se adaptam ao excesso de água. Por isso, é importante controlar as suas regas e manter a umidade sob controle para evitar que as raízes apodreçam.

No entanto, não há uma quantidade de regas específica, pois isso vai variar de acordo com a época do ano, o local de cultivo e o tipo de substrato utilizado no vaso. O ideal é regar pelo menos duas vezes por semana em dias mais quentes ou apenas quando o substrato estiver totalmente seco.

Imagem: Casa e Jardim

Adubação
A adubação das orquídeas pode ser bem simples e, de preferência, com poucos produtos químicos. Há quem utilize ingredientes caseiros, como a canela em pó e o sabão de coco, farinha de osso, torta de neem, torta de mamona, entre outros.  

O importante em como cultivar orquídeas é fazer uma adubação semanal com adubos orgânicos ou trimestral com adubos químicos, no caso dos ambientes fechados, pois o orgânico costuma atrair insetos. No caso dos adubos químicos, uma boa opção é o NPK 20-20-20.

Imagem relacionada
Imagem: Flores cultura Mix

Plantio de orquídeas em troncos
Para plantar a sua orquídea no tronco de uma árvore, retire-a do vaso, removendo boa parte do substrato em que ela se encontra. Em seguida, coloque um pouco de musgo entre suas raízes e o tronco da sua árvore para manter a umidade. Para ajudar na sua fixação, amarre-a em volta do tronco com uma meia-calça velha ou um barbante de algodão.

A grande vantagem de se plantar orquídeas em árvores, é não precisar se preocupar adubação e nem de regas, desde que as chuvas no local sejam suficientes. Todos os nutrientes que ela precisa, ela vai retirar da natureza.

Viram? Agora ficou fácil ter a sua orquídea em casa!!

terça-feira, 18 de junho de 2019

Transforme seu quintal com poucos recursos

Grandes transformações podem ser alcançadas, utilizando poucos recursos. Este é inclusive, um dos principais objetivos deste blog: oferecer opções para proporcionar conforto e prazer em estar em casa, sem que seja necessário gastar muito para isso. Pode parecer algo inatingível, mas quero demonstrar com as imagens abaixo, que é possível ter um recanto de sossego muito confortável em seu quintal, sem que seja necessário contratação de mão de obra ou materiais especiais.

Imagem: Mari Calgari

Um dos meus truques preferidos: criar uma área sombreada. Na maior parte das vezes as pessoas pensam que é necessário fazer um pergolado, mas observem nessa imagem abaixo: foram utilizados caibros de madeira simplesmente fixados no madeiramento do telhado e apoiados no muro. Uma vegetação do tipo trepadeira (vale até chuchu!) garante a sombra nos dias de sol. No mais apenas uma mesa e algumas cadeiras que resistam à chuva e pronto"

Imagem: Architectural Digest

Eu sei que quando temos a oportunidade de criar um espaço como estes muitos ficariam tentados a instalar uma cobertura para proteger o espaço da chuva, mas posso garantir que nem sempre essa é uma boa opção, principalmente porque a casa, dependendo da largura do quintal, perde em ventilação natural. O fato do espaço já funcionar bem nos dias de sol, já é uma grande vantagem.

Imagem: Cote Maison

Exatamente essa "pegada" tem a casa da Érika, cujo perfil maravilhoso você pode acompanhar no Instagram @erikakarpuk. Essa cobertura foi feita com esteira de palha de taboa, e foi feita para durar por um tempo. Quando estragar basta trocar. No piso foi aplicado o mesmo material, mas sobre uma base drenante em material plástico. No canal da Erika no You Tube ela dá todos os detalhes.

Imagem: @erikakarpuk


No mais, para garantir que tudo dure mais tempo, o importante é usar tecidos hidro repelentes, adequados ao uso em áreas externas. Assim podemos garantir que, faça chuva ou faça sol, não será necessário o stress de ter que tirar os objetos e mobiliário do quintal.

Imagem: Las Cositas de Beach


Imagem: Forma Plural


Se não for possível instalar o madeiramento, uma solução provisória são tecidos, que sombreiam e decoram, podendo ser utilizados eventualmente, uma vez que o sol acaba fragilizando o material, se este ficar exposto continuamente.

Imagem: Homeridian


Imagem: Las Cositas de Beach


Imagem: Las Cositas de Beach


As duas soluções abaixo podem parecer muito sofisticadas, mas vou destacar o que realmente faz a diferença e vão notar que não é nada complicado: Os muros foram revestidos em madeira (que podem ser madeira reaproveitada de obra por exemplo). Quando o quintal tem um muro muito grande, ou quando a manutenção ou pintura podem demandar muito trabalho, o revestimento em madeira contribui muito para transformar o espaço, ainda que seja feito em apenas uma área, delimitando um espaço de lazer. Interessante como o resultado pode ter efeitos diferentes entre si.

Imagem: Home Deco


Imagem: Casa Koressawa

E por falar em paredes não poderia deixar de mencionar uma solução sensacional para quintais: os jardins verticais, que podem ser feitos reaproveitando estrados de cama, peças em madeira e ferro ou mesmo cachepôs que tenham sustentação para ir direto à parede.

Imagem: Homeridian


Imagem: Homeridian

 Nessa ideia a atenção às paredes foi estendida ao piso, onde foram instalados ladrilhos hidráulicos que podem ter sido garimpados em lojas de materiais de demolição.

Imagem: Homeridian


Se o foco principal não forem as paredes, uma opção de impacto semelhante é dar um tratamento especial ao piso, que pode receber os mais variados tipos de revestimento, como placas de concreto, ardósia, pedra portuguesa ou mesmo madeira de demolição. Para não ter surpresas desagradáveis no que se refere à drenagem do terreno (acúmulo de águas de chuvas), o ideal é utilizar um piso drenante, sem cimento, para garantir que a água permaneça sendo absorvida pelo solo.

Imagem:Paisagismo Legal


Imagem: Decorfácil


Imagem: Ideias Decor


Esta imagem eu adoro, porque parece super sofisticada, mas se trata de um conjunto de soluções simples: A área coberta foi feita com telha trapezoidal autoportante, que demandam apenas dois apoios, apoiada no muro (economizando na estrutura), e o piso foi revestido com madeira de demolição. Somente isso e o mobiliário para curtir os dias de sol.

Imagem: Las Cositas de Beach


As luminárias do tipo cordão de luz, atualmente são encontradas em lojas de materiais elétricos, inclusive em LED. Além de lindas, já tem cara de festa!

Imagem: Las Cositas de Beach


Se o seu quintal tem algum desnível, avalie se ele pode funcionar como um assento (altura ideal: entre 45 e 50cm). Assim ele pode funcionar como apoio para uma mesa e garantir momentos super agradáveis com a família.

Imagem: Las Cositas de Beach


Última dica: Se a sua cozinha tem alguma parede que dê acesso direto ao quintal, uma ótima alternativa é criar um balcão neste lugar, garantindo que não seja necessário criar um segundo apoio com fogão, pia, etc, e integrando este espaço ao que acontece no quintal.

Imagem: Las Cositas de Beach

Grande abraço a todos!!!!